Novo: Experimente o meu bot de IA novo filme

Der Feind ist nicht Facebook, der Feind sind wir selbst" (Entrevista com Gerd Leonhard, em alemão)

"Queremos que a tecnologia seja umarmen, mas não que a tecnologia seja um werden"

O futurista e humanista Gerd Leonhard sobre uma ética digital.

"Daqui a zwanzig Jahren, estaremos a chegar a um ponto em que nada mais será impossível", afirma Gerd Leonhard em conversa com o KURIER. O futurista e humanista alemão falou ao 4GameChanger sobre o tema "Tecnologia vs. Homem".

Em seu trabalho, ele se baseia em uma frase do escritor de ficção científica William Gibson: "O futuro já está aqui, ele só está incompleto". Anders diz: "A maioria das coisas, que vimos em cinco anos, estão aqui. Wir müssen sie nur suchen und aufnehmen." Leonhard, der sich nicht Zukunftsforscher nennen will, sucht unablässig nach diesen Dingen. "Com estas tecnologias podemos criar um espaço de vida muito melhor, mais humano e mais livre. Aber wirklich wirssen an einem Strang ziehen, um diese Technologien zu beherrschen". O objetivo é criar uma ética digital global.

Leonhard está a pensar em três temas complexos: Inteligência Estrutural, Manipulação Genética e Geo-Engenharia (Eingreifen u.a. ins Wettergeschehen, Anm.). "O homem tem de perceber que a tecnologia é a principal função da sociedade", pelo que se trata de não fazer tudo, "apenas se for eficiente ou se for fácil", diz Leonhard. "Podemos, dentro de 15 a 20 anos, através da manipulação genética, controlar os Krebs. No entanto, devemos ter em atenção que, com esta técnica, não serão criados super-soldados". Uma dinâmica semelhante é vista por Leonhard paralelamente às armas atómicas como um grande desafio: "Não temos muito material para construir um robô inteligente, com grandes capacidades. Se hoje não soubermos o que está a acontecer e como o controlamos, daqui a cinco anos será o fim do jogo para nós".

O autor fala de um presidente dos Estados Unidos "muito bem sucedido". Este tema será abordado desde este ano por si próprio, prognosticou, "se Trump for um dos seus parceiros mais próximos do fim". Die Zukunftsfrage sei eine andere, viel globalere. Bisher hieß es: O que é que se passa agora e o que é que custa? Nun aberte es zu definieren: O que é que nós queremos? "No mundo grego ursprünglichen é a alegria dos homens. E não, uma ferramenta de trabalho a ser usada", diz Leonhard. "E quando o quisermos, temos de fazer tudo o que descobrirmos para o conseguirmos. Devemos usar a tecnologia, mas não a tecnologia."

Ler mais https://kurier.at/kultur/der-feind-ist-nicht-facebook-der-feind-sind-wir-selbst/260.392.440

3124

Vistas


Etiquetas

boletim informativo

* indica a necessidade
último livro