Novo: Experimente o meu bot de IA novo filme

Encontramo-nos em Malta esta noite (evento da Gala do Economist): "As máquinas terão o poder de um cérebro humano em 2025" via Malta Independent

Uma boa antevisão da minha intervenção no evento desta noite acabou de ser publicada em linha no Malta Independent. Alguns excertos:

"No ano 2025, as máquinas terão o mesmo poder que o cérebro humano e, em 2051, terão o poder de todo o mundo.
população mundial. Parece-lhe rebuscado? É certamente uma afirmação grandiosa, mas quem melhor para fazer este tipo de observações do que Gerd Leonhard, Futurista, Orador Principal, Autor e Diretor Executivo da The Futures Agency. Esta foi uma das muitas observações que Gerd Leonhard fez ao The Malta Independent antes de discursar para a revista The Economist no jantar de gala "The World in 2016", que terá lugar esta noite no Hilton, em St Julian's, onde todos os anos são convidados especialistas e inovadores de todo o mundo para partilharem as suas "previsões" para o próximo ano...

Leonhard lançou um filme intitulado "Technology vs Humanity" (Tecnologia vs Humanidade) que tenta "identificar a atual convergência do homem e da máquina". Basicamente, a tecnologia está a aproximar-se muito das pessoas e muitas das coisas que costumavam ser feitas pelas pessoas são agora feitas pela tecnologia...

Também contribuiu recentemente para um livro intitulado "The Future of Business", onde redefiniu a relação entre homem e máquina em termos de negócios. "A forma como está a ser redefinida é que temos de ver que as máquinas podem fazer 50% - 80% do que nós fazemos atualmente. Elas vão assumir isso, incluindo o aconselhamento bancário, o trabalho de secretariado, o pessoal do lixo, os motoristas do aeroporto, etc. [...] Portanto, isso vai realmente mudar a forma como trabalhamos e o que fazemos. Haverá uma grande mudança nas empresas, porque muitas empresas que costumavam ter talvez 100.000 empregados terão no futuro 5.000, devido a uma melhor utilização da tecnologia".

O futuro das empresas

Para o Sr. Leonhard, o futuro da atividade empresarial reside na redefinição do tipo de serviço ou produto que as empresas fornecem. Já não se trata do produto em si, mas da experiência do produto. "Isto vai acontecer na banca, nos seguros, nos jogos de azar e, basicamente, se tivermos uma empresa, vamos ter de criar novos valores. Terá de subir na pirâmide de Maslow e, em vez de se limitar a fornecer produtos e serviços, terá de proporcionar experiências, porque as experiências não podem ser facilmente copiadas pela tecnologia".

Por último, Leonhard explicou o tema que irá abordar durante o jantar de gala do The Economist. "Vou abordar as mudanças iminentes nos negócios, como se estivéssemos a caminhar para uma explosão exponencial da tecnologia". Ele mencionará o que chama de 10 -ations, que são 10 mega tendências: digitalização, mobilização, automação, antecipação, robotização e outras. Leonhard, no entanto, insiste que não há valor numa sociedade que é apenas tecnologia, porque será uma máquina a falar com outra máquina e não há valor no negócio se estivermos a vender a uma máquina. A sua declaração final será "abraça a tecnologia, mas não te tornes nela".

Obrigado ao Malta Independent por me ter entrevistado!

PS: uma das minhas propostas ao Primeiro-Ministro de Malta, ao Governo e à comunidade empresarial será a elaboração conjunta de um Cimeira de Malta para o Futuro para fazer face a estas oportunidades e desafios :))

malta summit for the future Gerd futurist

4128

Vistas


Etiquetas

boletim informativo

* indica a necessidade
último livro