Novo: Experimente o meu bot de IA novo filme

Sobre a poluição digital (Washington Monthly #mustread)

Na corrente da mudança exponencial... leia este excelente post sobre o porquê o mundo está agora a sufocar com a poluição digital (Washington Monthly). Agora que "os dados são o novo petróleo" (um dos memes preferidos de Gerd - ver este vídeo de 2012 ?), temos também o "derrame" sob a forma de poluição de dados. A primeira vez que ouvi falar deste termo foi no livro de Andrew Keen "Vertigem digital", de 2012. Isso foi no tempo em que discutíamos desafios "simples" como o excesso de informação e o controlo dos utilizadores sobre a partilha dos seus dados pessoais. Estas questões continuam a ser importantes - e ainda não resolvidas - mas, desde 2012, muita coisa mudou: os algoritmos, a IA, os bots e as notícias falsas acrescentaram uma nova camada de complexidade.

Citação: "Apesar de todo o bem que a Internet produziu, estamos agora a debater-nos com os efeitos da poluição digital que se tornaram tão potencialmente grandes que implicam o nosso bem-estar coletivo. Ultrapassámos o ponto em que as nossas preocupações com os serviços em linha derivam de indivíduos que procuram causar danos - cometer crimes, esconder pornografia infantil, recrutar terroristas. Estamos agora perante um sistema que está incorporado em todas as estruturas das nossas vidas e instituições e que está a moldar a nossa sociedade de formas que afectam profundamente os nossos valores básicos."

É mais importante o PORQUÊ e o QUEM do que o SE e o COMO

Os autores dão uma pista: "A procura de lucros e de domínio do mercado é instilada em sistemas de inteligência artificial que não estão preparados para perguntar porquê. Mas nós não somos máquinas; podemos perguntar porquê. Temos de confrontar a forma como estas tecnologias funcionam e avaliar as consequências e os custos para nós e para outras partes da nossa sociedade."

"Precisamos de um entendimento comum, não apenas dos benefícios da tecnologia, mas também dos seus custos - para a nossa sociedade e para nós próprios."

Precisamos de medir todos os meandros de toda a cadeia de valor dos dados. Precisamos de uma melhor legibilidade e, por conseguinte, de uma maior consciencialização. Tal como a economia dos donuts de Kate RaworthPara a economia da ética digital, precisamos provavelmente de uma metáfora semelhante, não só para mapear o progresso destas novas tecnologias, mas também os excessos prejudiciais para a sociedade. Esse mapa permitir-nos-á ver o quadro completo, medir o que realmente importa e ajudar-nos a decidir que futuro queremos. O futuro é o que nós fizermos dele.

Este é um post convidado do curador do TFA Petervan.

Vídeo relacionado: os dados são o novo petróleo (um dos 7 princípios futuros de Gerd)

22954

Vistas


Etiquetas

boletim informativo

* indica a necessidade
último livro