Novo: Experimente o meu bot de IA novo filme

Precisamos de agir para evitar um monopólio de IA generativa? (leitura obrigatória via Diane Coyle, PS)

ler mais via Projeto Syndicate

ChatGPT, o novo chatbot de inteligência artificial desenvolvido pelo laboratório de investigação OpenAI, sediado em São Francisco, tomou o mundo de assalto. Já aclamado como um marco na evolução dos chamados modelos de linguagem de grande porte (LLMs), a IA generativa mais famosa do mundo levanta importantes perguntas sobre quem controla este mercado nascente e se estas tecnologias poderosas servem o interesse público.

Apesar de todos os seus defeitos, ChatGPT representa obviamente um grande avanço tecnológico, razão pela qual a Microsoft anunciou recentemente um "investimento plurianual e multibilionário" em OpenAI, alegadamente num montante de $10 mil milhõespara além dos $1 mil milhões que já tinha comprometido com a empresa. Originalmente uma organização sem fins lucrativos, a OpenAI é atualmente uma com fins lucrativos empresa avaliada em $29 mil milhões. Embora tenha comprometeu-se a limitar os seus lucrosa sua estrutura flexível limita os rendimentos dos investidores a 10,000%.

Mas não é claro o quê, se é que há alguma coisa, decisores políticos devem fazer. Por um lado, se as entidades reguladoras não fizerem nada, o mercado da IA generativa pode acabar por ser dominado por uma ou duas empresas, como todos os mercados digitais anteriores. Por outro lado, o aparecimento de LLM de código aberto, como a ferramenta de conversão de texto em imagem Difusão estávelA Comissão Europeia, por seu lado, tem a intenção de garantir que o mercado continue a ser competitivo sem mais intervenções.

Tal como foi debatido no recente Fórum Económico Mundial reunião Em Davos, a IA generativa é demasiado poderosa e potencialmente transformadora para deixar o seu destino nas mãos de algumas empresas dominantes. Mas embora haja uma clara procura de intervenção regulamentar, o ritmo acelerado do avanço tecnológico deixa os governos numa enorme desvantagem. Qualquer que seja o caminho escolhido pelos decisores políticos mundiais, ficar parado não é uma opção. É bastante claro que deixar que seja o mercado a decidir como estas poderosas tecnologias são utilizadas, e por quem, é uma proposta muito arriscada..." LER.

A minha última palestra sobre Futuros da IA
Palestra sobre Tecnologia e Humanidade... e Regulamentação Tecnológica, para a ELF

3049

Vistas


Etiquetas

boletim informativo

* indica a necessidade
último livro